Cobrança para marcação de assento em voos Lufthansa: minha opinião

Ok, entendo que as companhias aéreas façam de tudo para reduzir seus custos, desde que mantenham a segurança e as condições básicas de conforto e sobrevivência dentro da aeronave.

Já viajei várias vezes por companhias aéreas low cost (como Easyjet, Ryanair, Aer Lingus) e também entendo que cobrem à parte pela bagagem despachada e marcação de lugares, já que praticam preços bem mais atrativos do que as companhias aéreas tradicionais.

Mas, ao ver que a Lufthansa, uma das maiores companhias do mundo, está cobrando para marcar lugares em um voo transoceânico… Aí já é demais!

Enquanto pesquisava o preço de duas passagens aéreas para os meus pais virem me visitar em Munique no Natal (eles moram no Rio de Janeiro), notei que a Lufthansa mostrava o preço mais atrativo para a época em um buscador/comparador de passagens. Beleza! Partindo pra compra, percebi que, na etapa final, havia a possibilidade de adquirir um “extra”: a marcação de lugares. Obviamente não acreditei no que estava vendo, afinal, o valor por pessoa não era nenhuma bagatela…

Enfim, neste caso, se os meus pais quisessem ter a certeza de que iriam viajar juntos (o que no caso deles é importante, já que são dois idosos sozinhos em um voo de longa duração), eles teriam que pagar um valor adicional correspondente a mais de 10% do preço da passagem…

Vejam só o preço da passagem e o preço da reserva de assentos no screenshot do email de confirmação de compra: mais de 500 reais de taxas extras!
lufthansaAcabei comprando as passagens mesmo assim e pagando o extra pela marcação de lugares (apesar de achar essa cobrança um absurdo), porque a Lufthansa é a única companhia que tem voos diretos do Brasil para Munique (o que seria mais confortável para os meus pais). Mas, confesso que me senti um tanto quanto enganada com essa ideia de ganhar um extra em cima dos clientes com marcação de lugares num voo tão longo.

Obviamente se trata de uma estratégia para aparecer como a companhia aérea mais barata nos buscadores e comparadores de preço de passagens. No entanto, não acho que seja uma comparação justa, já que grandes companhias como Air France e KLM, por exemplo, são mais honestas e mostram o preço cheio (com direito à marcação de lugar) logo de cara.

Outra coisa que me irritou profundamente na Lufthansa: o serviço de atendimento telefônico do escritório no Brasil é altamente ineficiente.

Estou há vários dias tentando ligar para os números de São Paulo e do Rio de Janeiro para solicitar assistência especial para os meus pais nestes voos, mas não consigo. Só hoje já fiquei mais de 40 minutos na linha ouvindo a musiquinha e a mensagem de que todos os atendentes estão ocupados – até que a bateria do meu telefone acabou e a minha paciência chegou ao fim. Amanhã tento de novo.

Pois é, a Lufthansa caiu no meu conceito. Enquanto isso, acho que a Air France arrebentou no novo conceito das aeronaves. Estão muito confortáveis e com serviço de bordo excelente. Então, provavelmente esta será a companhia aérea escolhida da próxima vez em que for ao Brasil, mesmo não existindo voo direto de Munique.

Sobre Márcia Oliveira 226 Artigos
É uma carioca completamente apaixonada por viagens - assim que chega de uma já está planejando a próxima. Atualmente mora em Munique, na Alemanha. É Jornalista e tem um marido super gente boa que a acompanha em suas aventuras. Adora fotografia. Ama a família e os animais. Aprecia as coisas simples da vida. E adora escrever no blog e conversar sobre viagens!

5 Comentário

  1. Acho isso um absurdo! Empresa grande querendo se comportar como low cost qualquer? Tudo bem que até coloquem alguns assentos pagos lá na frente, mas ter que pagar por qualquer um é muito desaforo, ainda mais quando se trata de voos intercontinentais. A única opção seria esperar para marcarem aleatoriamente no check in (o que é péssimo para pessoas que viajam juntas e correm o risco de irem separadas).
    Serviço cada vez pior!

  2. Oi, Márcia! Você não precisa pagar para reservar os assentos. É somente fazer o check in, como em todas as companhias aqui na Europa, 23 horas antes do vôo.
    Um abraço.
    Luzia Pinto

    • Oi Luzia!
      Sei que o pagamento não é obrigatório. Mas deixar pra escolher os assentos na hora do check in é um risco, já que podem não existir dois assentos lado a lado. Como se tratava de dois idosos viajando sozinhos, não tinha como deixar de fazer a marcação com antecedência, porque pra eles é ainda mais difícil viajar por tanto tempo, ainda mais em classe econômica.
      Abraços!

  3. Oi Marcia! Estou passando pela mesma dificuldade… Comprei passagens para a Tailândia pela Air China, só que o primeiro vôo é operado pela Lufthansa. Consegui marcar todos os lugares, menos nesse primeiro vôo. Liguei para o escritório de SP e depois de passar uns 15 minutos esperando, a atendente ainda foi grosseira comigo, falou que teria que pagar pela marcação, levei um susto, mas estava disposta a pagar… Só que no final ela acabou sem conseguir resolver nada, disse que não conseguia acessar o sistema. Se eles não conseguem, quem vai conseguir?!

  4. Amigos mios. Lufthansa es una verdadera pandilla de delicuentes en las relaciones con sus clientes. En publiciudad te disponibilizan de todo, todo es sencillo, pero la verdad es que cuando necesitas de algo, sea una informacion o una reserva de silla tienes de pagar. El unico que puedo decir es ELIGAN SIEMPRE OTRA AEROLINEA PARA VIAJAR E NO CREAN en los beneficios que Lufthansa “te da” porque es una trampa. Tan sencillo como eso. Yo personalmente ya fue robado dos veces por Lufthansa. Para mi son unos tramposos. Y, evidentemente, asumo la responsabilidad de mis palabras

1 Trackback / Pingback

  1. Como é voar pela Lufthansa: relato da minha experiência ⋆ Viajando por aí

Dê vida a este blog! Deixe sua opinião aqui!