Como é voar pela Lufthansa: relato da minha experiência

Airbus A340 - Lufthansa
Airbus A340 – Lufthansa

 

Pessoal, antes de escolherem a Lufthansa, leiam também este post sobre a cobrança de um valor extra para marcação de assento em voos.

Em fevereiro de 2013, no período do Carnaval, fui conhecer a Polônia. E para chegar até Varsóvia, comprei as passagens em uma promoção da Lufthansa, em outubro do ano anterior. O voo saiu do Rio de Janeiro e foi até Frankfurt. De lá, pegamos outro voo para Varsóvia.

A seguir, listo as minhas impressões a respeito da Lufthansa, assim como já o fiz com a KLM há alguns meses. Optei por separar o meu relato em cinco tópicos: Atendimento, Serviço de bordo, Conforto, Pontualidade, Entretenimento  a bordo e Gerenciamento de imprevistos, como vocês verão logo abaixo.

1) Atendimento

Este foi um dos pontos que me impressionou bastante. No balcão do check-in do Rio de Janeiro, a funcionária da companhia aérea nos tratou muito bem, esbanjando gentileza e simpatia – ela inclusive nos perguntou se já conhecíamos o nosso destino, adiantando que faríamos uma viagem muito bonita. Dentro da aeronave, a tripulação também se demonstrou muito solícita e sorridente. Nunca vi comissários tão risonhos e felizes. Eles se mantiveram assim até mesmo ao servir o café-da-manhã, após uma noite inteira atravessando o Atlântico. Por isso, a minha nota não pode ser diferente de 10 para esse quesito.

2) Serviço de bordo

Para a viagem entre o Rio de Janeiro e Frankfurt, foram servidas duas refeições e também um aperitivo (biscoitinhos) logo após a decolagem. A comida do jantar estava bastante saborosa (havia duas opções, entre massa e frango) e o café-da-manhã não foi o melhor da minha vida de viajante, mas, com certeza, deu pro gasto. O que me incomodou durante as refeições foi o fato de o prato quente vir sempre em uma embalagem de alumínio fervendo, capaz de realmente queimar suas mãos. Tanto na ida quanto na volta para o Brasil, era necessário esperar algum tempo até a “quentinha” esfriar para conseguir comer sem se machucar. Nota 8,5!

Aperitivo
Aperitivo
Jantar Lufthansa
Jantar Lufthansa
Café-da-manhã Lufthansa
Café-da-manhã Lufthansa

3) Conforto

A viagem de ida foi feita em um A340. Sentei na fileira lateral, ao lado de meu marido. Logo ao entrar na aeronave, percebemos que a largura do assento era realmente bem pequena, assim como a distância para os assentos da fileira à nossa frente. Para dormir à noite foi um tanto quanto desconfortável, assim como nos horários das refeições, quando precisávamos baixar as mesinhas. Além disso, achei o estofamento do assento meio duro. Um ponto positivo foi a temperatura da aeronave: não estava congelante e apenas o cobertor e um casaquinho foram suficientes para me sentir bem, sem ficar tremendo de frio. Minha nota neste quesito é 7!

4) Pontualidade

Apesar da movimentação do aeroporto em pleno Carnaval, o voo saiu no horário do Rio de Janeiro e chegou um pouco antes do previsto em Frankfurt. Não tem como não dar 10, não é?

5) Entretenimento a bordo

Cada assento da aeronave possui um monitor individual com programação variada (filmes, músicas, séries…). Pessoalmente, os programas não eram os meus favoritos, assim como as músicas, que eram minhas ilustres desconhecidas. Então, na maior parte do tempo, fiquei mesmo apreciando a imagem globo terrestre indicando onde nos encontrávamos a cada instante. Por isso a minha nota é 7!

Entretenimento a bordo Lufthansa
Entretenimento a bordo Lufthansa

6) Gerenciamento de imprevistos

Na hora de retornar ao Brasil, fizemos o check-in em Varsóvia e fomos até o portão de embarque indicado. O voo para Frankfurt estava atrasado e ficamos aguardando um bom tempo até termos autorização para embarcar – o que, de fato, acabou não acontecendo. Fomos informados de que o voo tinha sio cancelado por problemas técnicos, e, consequentemente, perdemos o nosso voo para o Brasil, que sairia no mesmo dia de Frankfurt, com apenas algumas horas de diferença.

Pegamos as nossas malas de volta, e junto com todos os demais passageiros, fomos para o balcão da Lufthansa para saber como o imprevisto seria solucionado. Após cerca de 3 horas de fila, chegou a nossa vez! O atendimento era demorado, porque era necessário realocar cada passageiro em um voo ou mais voos no dia seguinte, e nem sempre havia lugar disponível, como foi o nosso caso.

A atendente da Lufthansa avisou que não poderíamos voltar para casa no dia seguinte, porque todos os voos estavam lotados, já que era a volta do Carnaval. Dissemos que não abriríamos mão disso e ela deu um jeito. Beleza! Fomos acomodados no Hotel Marriot Courtyard, em frente ao aeroporto Frederic Chopin, com as refeições pagas pela companhia.

No dia seguinte, voltamos para pegar o voo para Frankfurt, e, desta vez, conseguimos embarcar. Mas, na hora de voltar para o Rio de Janeiro, uma notícia: o voo estava com overbooking e os passageiros excedentes e voluntários ganhariam uma indenização atrativa dinheiro, hospedagem e refeições por conta da Lufthansa e só retornariam ao Brasil no dia seguinte. De novo, não voltamos para casa e ficamos mais um dia inteiro em Frankfurt para finalmente embarcar para o Brasil. Por alguns instantes, me senti o Tom Hanks no filme “O Terminal”. Mas a Lufthansa demonstrou jogo de cintura para resolver o problema de maneira serena e amigável e cumpriu com tudo o que foi prometido. Para este quesito, a minha nota é 9!

Em resumo: Minha nota média para a companhia ficou em 8,5.  De maneira geral, gostei de voar pela Lufthansa, mas, se pudesse escolher outra companhia aérea em uma próxima viagem cruzando  o Atlântico, optaria pela KLM ou pela TAP buscando um pouco mais de conforto na classe econômica – que, por enquanto, é a única que cabe no meu bolso. 

Sobrevoando os Alpes
Sobrevoando os Alpes
Sobre Márcia Oliveira 226 Artigos
É uma carioca completamente apaixonada por viagens - assim que chega de uma já está planejando a próxima. Atualmente mora em Munique, na Alemanha. É Jornalista e tem um marido super gente boa que a acompanha em suas aventuras. Adora fotografia. Ama a família e os animais. Aprecia as coisas simples da vida. E adora escrever no blog e conversar sobre viagens!

5 Comentário

  1. Oi Marcinha! Recomendo que você teste a British – fiquei impressionada com a inclinação da cadeira na classe econômica. A viagem acabou sendo bem mais confortável por conta disso, pois pude dormir melhor. Recomendo! 🙂

  2. Olá! Você lembra quanto pagou pelas passagens aéreas. Pretendemos ir para Varsóvia em março do próximo ano e até agora a mais barata que achei foi R$ 5.800 (para 2 pessoas). Estou aguardando baixar, mas estou com receio que suba ainda mais!

  3. oi pessoal! a minha altura é 1,82 e peso 98 Kg, não fui para a Europa ainda, gostaria que me indi casem uma companhia que eu tivesse um pouco de conforto, na classe econômica.

Dê vida a este blog! Deixe sua opinião aqui!