Dicas para trocar milhas por passagens aéreas

Algumas maneiras de usar suas milhas para viajar “de graça”

Já ouvi muita gente dizer que juntar milhas é perda de tempo, que o passageiro que viaja com elas está sujeito a cancelamentos de última hora e que é melhor pagar pela passagem a se aborrecer…. Eu discordo!Já viajei várias vezes utilizando milhas e nunca tive uma experiência ruim. Pelo contrário, sempre fico muito feliz por economizar e ter  aquela sensação de “viajar de graça”.

Gastando as milhas
Por outro lado, quem quer utilizar suas milhas deve ficar atento a algumas dicas. Por exemplo: quanto antes marcar sua viagem, melhor. Não adianta querer viajar no fim de semana  e comprar sua passagem de milhas na segunda-feira anterior – provavelmente não haverá mais disponibilidade no voo, ou será necessário gastar uma quantidade muito alta de milhas para o trecho, o que pode fazer a troca não valer tanto a pena. Por isso, planeje-se com pelo menos 3 meses para tirar melhor proveito do programa ao qual é associado!

Outro ponto a ser considerado é a validade das milhas: fique atento a ela para não perder a chance de viajar sem ter que pagar. Alguns cartões de crédito também estabelecem uma validade para transferência dos seus pontos para a companhia aérea parceira, por isso, preste atenção às regras da sua operadora de crédito em relação a isso. Se você não tiver uma viagem em vista, você poderá doar suas milhas a uma ONG ou programa social (consulte sua companhia aérea ou cartão de crédito) ou presentear alguém querido ou que nunca teve oportunidade de andar de avião com uma passagem. Sim, porque suas milhas são pessoais (e você não pode criar uma “conta conjunta de milhas” com outra pessoa, por exemplo), mas existe a possibilidade de utilizar seu saldo para emitir um bilhete aéreo em nome de outra pessoa – eu ia amar receber um tíquete de presente (#ficaadica)!

Também pode ser mais vantajoso utilizar as milhas para viagens mais curtas (no Brasil e América do Sul) do que esperar acumular o suficiente para ir, por exemplo, para os Estados Unidos e Europa. Assim você dá rotatividade aos pontos minimizando o risco de perdê-los por vencimento ou porque ainda não juntou milhas suficientes para viajar para o seu destino dos sonhos. Outra possibilidade é utilizar as milhas para fazer um upgrade de classe – imagine viajar no conforto da Executiva pelo preço da Classe Econômica?

Além disso, procure concentrar suas milhas em um ou dois programas no máximo, sem pulverizá-las e reduzir a chance de resgatar seu bilhete prêmio. Eu tenho cartão de fidelidade da Tam e do Smiles e sempre dou prioridade a viajar por companhias aéreas que tenham convênio com ambas.

Acumulando pontos
Existem algumas maneiras de acumular milhas sem ter que necessariamente viajar: assinando revistas, contratando serviços, alugando automóveis ou utilizando o seu cartão de crédito. Se você criar uma disciplina de concentrar seus gastos em um cartão ao longo de todo o mês, terá sempre uma quantidade de milhas a acumular a cada fatura, e poderá ir fazendo sua “poupança de milhagem” para as próximas férias. O importante é ter um controle rígido dos gastos para se manter sempre dentro do seu orçamento. Afinal, de nada adianta ficar cheio de pontos… e endividado!

Ao viajar por uma companhia aérea, forneça sempre o número do seu cartão de fidelidade no momento da compra do tíquete e o confirme no balcão do check-in. Mesmo tomando essas medidas, cheque alguns dias após a viagem o site da empresa aérea e confirme se as milhas foram realmente creditadas. Muitas vezes isso não acontece, e, caso você não faça uma reclamação formal num período de até 6 meses (este prazo pode variar de acordo com cada empresa), não poderá mais reaver as milhas a que teria direito.

E tem mais: nunca jogue seus cartões de embarque fora ao deixar o aeroporto  (eu já fiz isso algumas vezes e me arrependi). Nestas situações, ele servirá como prova de que você efetivamente embarcou em um determinado voo e que tem direito a reivindicar as milhas correspondentes a ele, caso elas não sejam creditadas adequadamente.

De olho nas promoções!
É importante também ficar por dentro das últimas novidades do seu programa de fidelidade. Para isso, inscreva-se para receber suas newsletters por email – elas são o canal de comunicação principal entre as empresas e os clientes. Através delas, você ficará sabendo de promoções (como viajar para determinados destinos utilizando menos milhas) e eventuais mudanças de regras para resgate de milhas.

Sobre Márcia Oliveira 226 Artigos
É uma carioca completamente apaixonada por viagens - assim que chega de uma já está planejando a próxima. Atualmente mora em Munique, na Alemanha. É Jornalista e tem um marido super gente boa que a acompanha em suas aventuras. Adora fotografia. Ama a família e os animais. Aprecia as coisas simples da vida. E adora escrever no blog e conversar sobre viagens!

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. Clube Smiles: vale a pena se associar? - Viajando por aí
  2. Teste: Você é viciado em viagens? - Viajando por aí

Dê vida a este blog! Deixe sua opinião aqui!