Cracóvia (Polônia): o que você não pode deixar de visitar por lá

Cracóvia é encantadora. Como não foi atingida por bombardeios na Segunda Guerra Mundial, muitos dos seus prédios são originais, o que faz a visita à cidade ser uma volta no tempo.

Cracovia

Bastante compacta, Cracóvia pode ser perfeitamente explorada a pé. Estive lá no inverno de 2013 (mês de fevereiro) e, apesar dos dias mais curtos, foi possível conhecer bem as principais atrações em três dias.

O centro histórico de Cracóvia – a Cidade Velha ou Stare Miasto – é cercado por uma muralha fortificada que abriga no seu interior os principais pontos turísticos. Meu hotel era bem próximo ao portão principal da muralha (Portão de São Floriano), que dá acesso a Rua Florianska, onde ficam várias lojinhas e restaurantes.

Rua Florianska

Ao percorrer a Rua Florianska, chega-se à Praça do Mercado (Rynek Główny), que tem a fama de ser a maior praça da Europa – e é realmente linda.

Rynek Glowny - Cracóvia

A Praça é dividida ao meio pelo prédio do Mercado, construído na época medieval. Em seu interior, há várias lojinhas de souvenires e artesanato – basicamente, podem ser encontradas peças de madeira, bijuterias e joias de ambar e pratos pintados (tudo de muito bom gosto).

Mercado_Cracovia

Na Praça do Mercado há também a Torre da Prefeitura, vários cafés e restaurantes charmosos e a escultura em bronze Eros Bendato (ou “Eros Vendado”), de Igor Mitoraj, que é também um dos ícones da cidade.

Torre da Prefeitura

rynek_glowny_Cracovia_3

Na Praça do Mercado, fica também a  belíssima Igreja de Santa Maria.  Ela foi construída no século XII e recebeu várias adições ao longo dos tempos, como a torre esquerda, onde fica o relógio. Se você estiver por perto, ouvirá a cada hora cheia o som de um trompete. Reza a lenda que se trata da homenagem a um famoso trompeteiro local que foi atingido e morreu ao anunciar uma invasão mongol há alguns séculos.

Igreja de Santa Maria

Uma coisa interessante na Igreja de Santa Maria é que você pode pagar uma taxa adicional ao ingresso para fotografar o seu interior (sem flash, é claro) – você ganha um adesivo que deve ficar preso à roupa para poder circular com a câmera e registrar quantas fotos quiser. Mas, como o interior da igreja é bastante escuro, as minhas fotos não ficaram lá essas coisas.

igreja_cracovia_2

Um dos destaques da Igreja de Santa Maria é uma impressionante peça de altar com 12m de altura, criada por Veit Stoss. O teto azul com estrelas douradas também é belíssimo.

Igreja de Santa Maria - Cracóvia

Ao redor da muralha da Cidade Velha também existe uma grande área arborizada bastante agradável, que no inverno fica toda branquinha e é excelente para uma caminhada. No seu subsolo, há banheiros públicos limpíssimos.

Parque em Cracóvia

Outro ponto turístico imperdível é o Monte Wawel, que pode ser alcançado através de uma rampa e fica bem próximo à Cidade Velha.

Wawel - Cracóvia

No Monte Wawel fica a famosa Catedral de Cracóvia (fundada em 1020). Ao longo do tempo, ela foi sofrendo vários acréscimos, por isso podem ser vistas várias torres em seu entorno. Nessa Catedral, o Papa João Paulo II celebrou sua primeira missa como sacerdote em 2 de novembro de 1946. E logo à sua frente há um monumento em sua homenagem.

Catedral de Cracovia

Também no Monte Wawel fica o Castelo Real (Crácóvia foi a capital da Polonia até 1609, quando a Corte e o Parlamento foram transferidos para Varsóvia). Ele foi ocupado pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial e totalmente restaurado no século XX.

Castelo_Cracovia_Wawel

Não cheguei a entrar nos aposentos reais do Castelo, mas a visita a suas áreas externas já vale muito a pena.

Wawel_Vistula_Cracovia

Logo atrás das muralhas do Castelo Real, fica o Rio Vístula. É possível passear às suas margens e se sentar um pouco para apreciar a paisagem (no inverno, é claro, isso não é possível, porque os banquinhos estão cobertos de neve).

vistula_cracovia

Há também o Bairro Judeu, no distrito de Kazimierz, onde no início da 2ª Guerra Mundial viveram cerca de 70 mil judeus. Os nazistas os transferiram para um gueto do outro lado do rio Vistula, de onde foram deportados posteriormente para os campos de concentração.

kazimiers_cracovia

Um museu que vale muito a pena ser visitado em Cracóvia é a Fábrica de Esmaltados de Oskar Schindler – sim, é aquele personagem do filme “A Lista de Schindler”, de Steven Spielberg. Ele fica no coração do gueto para onde a comunidade judaica foi transferida em 1941, conta em detalhes o dia a dia dos moradores ao longo da Segunda Guerra Mundial e mostra as atrocidades cometidas pelo nazistas contra a população. Imperdível!

schindler_cracovia

Outra dica em Cracóvia é a Galeria Krakowska: um shopping center com várias opções de restaurantes, cafés e lojas de marcas mundialmente conhecidas (uma boa oportunidade para aproveitar os excelentes preços da Polônia). No inverno, é uma excelente parada pra quem deseja se esquentar um pouquinho.

Cracóvia é também um excelente ponto de partida para a visita aos campos de concentração nazistas de Auschwitz e Birkenau (excursão de um dia inteiro) e também para conhecer a Mina de Sal de Wieliczka (excursão de meio dia).

Curiosidades sobre Cracóvia

– Em Cracóvia, Mikołaj Koperniko (Copérnico)  propôs pela primeira vez que o Sol, e não a Terra, era o centro do sistema solar.

– De acordo com o “Índice do Mochileiro de 2013” (Backpacker Index) do site Price of Travel, Cracóvia é uma das cidades mais baratas do mundo para se fazer turismo – fica em 17º lugar em uma lista com 116 localidades.

– Para ver ao vivo o que acontece no centro histórico de Cracóvia, acesse esta webcam

Sobre Márcia Oliveira 225 Articles
É uma carioca completamente apaixonada por viagens - assim que chega de uma já está planejando a próxima. Atualmente mora em Munique, na Alemanha. É Jornalista e tem um marido super gente boa que a acompanha em suas aventuras. Adora fotografia. Ama a família e os animais. Aprecia as coisas simples da vida. E adora escrever no blog e conversar sobre viagens!

11 Comentários em Cracóvia (Polônia): o que você não pode deixar de visitar por lá

  1. Olá Marcia, pretendo ir no ano que vem, será minha primeira viagem Internacional, você poderia me dar algumas dicas? não sei nem por onde começar Beijos

    • Oi Sonia!
      Que legal, vai começar sua vivência internacional em um lugar lindo!!!! Sugiro que comece pensando na documentação – já tirou passaporte? já viu quanto custa o seguro de viagem? sabe quais cias. aéreas voam até lá? Caso fale inglês, tudo fica mais fácil. Caso não fale, leve um papel com um texto em inglês explicando o motivo da viagem, os dias em que irá ficar no país e os hotéis em que irá se hospedar – você deverá mostrar isso no controle de passaporte. Pense em hotéis com localização central. Em que estação do ano será sua viagem? Sugiro que veja a média de temperaturas dos lugares que irá visitar para saber que tipo de roupa levar. Já pensou que lugares quer visitar? Montar o roteiro é uma parte deliciosa da viagem. Pegue um mapa, leia blogs, faça anotações… E se precisar de mais alguma informação, estou à disposição para ajudá-la. Um abraço!

  2. Oi Marcia! Vou a Cracóvia em Junho e gastaria de saber se em 2 dias consigo conhecer a cidade e ir a Auschwitz? Vou fazer uma viagem para 4 países em 15 dias e estou organizando os dias em cada um é quanto se precisa pra conhecer alguns lugares. Outra coisa, se paga para entrar na fábrica do Schindler, se sim é quanto?
    Desde já agradeço e amei as dicas!

    • Oi Aline! Tire um dia pra conhecer a cidade e um dia para os campos de concentração. A cidade não é grande, mas há bastante o que se ver. A fábrica de Schindler é paga sim. Mas não se preocupe: lá é tudo bem em conta! Boa viagem!

  3. Adorei as dicas. Márcia vc teve problemas com a língua, eles falam inglês em todos os lugares que vc foi?

Dê vida a este blog! Deixe sua opinião aqui!