Liverpool para fãs de Beatles e a Magical Mystery Tour


Em 2009, tive a oportunidade de conhecer a cidade de Liverpool, na Inglaterra. A “desculpa” para a minha ida à terra natal dos Beatles foi um congresso, mas, como fã do grupo, fiz questão de estender a minha estada para realizar um sonho antigo: fazer o “Magical Mystery Tour”, um passeio que dura uma tarde inteira e que leva turistas a pontos de interesse relacionados à história do quarteto.

Há algum tempo, já tinha visto o tour em um programa de televisão e me lembro de ter pensado: “Um dia ainda vou lá pra conhecer esse lugar…” E não é que esse dia finalmente chegou?

Só quem realmente gosta das músicas dos Beatles sabe a emoção que é fazer esta viagem de volta no tempo. Eu mal acreditava estar ali, no lugar que inspirou a trilha sonora da minha juventude (apesar de eu ter nascido no final dos anos 70) e que revelou para o mundo os quatro rapazes de Liverpool que reinventaram a música na década de 1960.

Bem, mas vamos aos detalhes do passeio: saímos do centro da cidade com destino ao subúrbio de Liverpool – uma área encantadora, florida, com casinhas lindas e imensas áreas verdes que explicam, em parte, por que canções tão românticas tiveram origem naquele lugar. Lá, visitamos as casas onde cada Beatle morou antes da fama: primeiro, fomos à casa de Ringo Starr (foto 1), localizada em uma área bastante modesta (semelhante à uma vila operaria), onde o baterista viveu até os primeiros anos da beatlemania. Por sorte, ainda pegamos a casa de pé, já que em poucos dias ela seria demolida para dar lugar a um novo empreendimento. Em seguida, nos dirigimos para a casa de George Harrison (foto 4), em um bairro onde vivem muitos imigrantes (principalmente árabes). Ao ver a fachada, pudemos notar o quanto a casa (hoje habitada por outra família) é pequena e estreita, o que sinaliza que o guitarrista tinha uma vida bastante humilde antes de ser revelado para o mundo. Depois, visitamos a casa de Paul McCartney (foto 2), que é um museu em um bairro de classe média. Por fim, paramos na casa de John Lennon (foto 3), em uma zona mais nobre da cidade. Esta casa é considerada patrimônio histórico da Inglaterra por ter sido a residência de um de seus mais famosos cidadãos.

Passamos ainda por Penny Lane, a rua que inspirou o sucesso musical de mesmo nome, que eu particularmente adoro. Lá, tirei fotos do banco e da barbearia que são citadas na canção. Além disso, posei para uma foto ao lado de uma das únicas placas com o nome da rua que restaram no local – alguns vândalos as levaram como souvenir para suas casas….


Fomos também a um cemitério (lindo, por sinal!) onde John e Paul McCartney se conheceram ainda adolescentes e também ao auditório onde tocaram juntos a primeira vez. Além disso, paramos nos Strawberry Fields (a tradução para o nome do lugar é “Campos de Morangos”), que são cantados em uma música de mesmo nome. Engraçado saber que neste local nunca foi plantado nenhum pé de morango e que, na realidade, no terreno, funcionava um abrigo de crianças onde vivia um caso adolescente de John Lennon.



Para completar o Magical Mistery Tour, fui ao “The Cavern”, uma mistura de pub com casa de shows, onde os Beatles se apresentavam com frequência e onde foram descobertos pelo empresário Brian Epstein. Trata-se de uma “caverna” no subsolo do centro da cidade, com um pequeno palco com os instrumentos da banda, que ainda hoje recebe legiões de fãs dos Beatles.

O passeio foi realmente inesquecível, e, sem dúvida, valeu muito a pena. Nosso guia era muito entendido no assunto e era possível perceber o quanto era apaixonado pelas músicas do quarteto, o que tornou o passeio ainda mais emocionante. Sem falar que ele caprichou na trilha sonora ao longo do passeio, tornando o “Magical Mistery Tour” ainda mais real!



Para dar continuidade ao tour pela beatlemania, fiz questão de visitar o Beatles Story, um museu muito bem montado que conta toda a trajetória do grupo e que também é um ponto turístico imperdível para quem é fã de suas canções. O museu mostra a origem, o sucesso e a decadência do grupo e também é um “must see” em Liverpool. O ponto alto do museu, sem dúvida, é a sala final, que exibe o piano branco e os famosos óculos dourados de John Lennon em um lindo cenário, com o fundo musical de “Imagine”.

Liverpool é uma cidade portuária sem muitos atrativos turísticos adicionais, mas que certamente ficará para sempre em minha memória por ter me proporcionado esta maravilhosa viagem musical à época da beatlemania.

Sobre Márcia Oliveira 226 Artigos
É uma carioca completamente apaixonada por viagens - assim que chega de uma já está planejando a próxima. Atualmente mora em Munique, na Alemanha. É Jornalista e tem um marido super gente boa que a acompanha em suas aventuras. Adora fotografia. Ama a família e os animais. Aprecia as coisas simples da vida. E adora escrever no blog e conversar sobre viagens!

Seja o primeiro a comentar

Dê vida a este blog! Deixe sua opinião aqui!