Viajando com empresas aéreas europeias low cost

Sou uma grande fã das empresas de aviação low cost europeias. Já comprei uma passagem pela Ryanair, por exemplo, entre Liverpool e Dublin por inacreditáveis 99 centavos de libra – pouco mais de 3 reais!

É claro que havia os valores das taxas, que aumentavam um pouco o preço do tíquete aéreo, mas, certamente, vale muito a pena voar por essas companhias, que costumam oferecer preços bem mais atrativos que os trens, por exemplo. Os aviões, de maneira geral, são bastante novos e bem conservados.

Apenas não devemos esperar muito dos serviços agregados, pelos quais normalmente pagamos nas companhias tradicionais: o serviço de bordo é pago à parte, e, normalmente, não é muito barato – mas você pode levar um lanchinho na bolsa, se quiser; a reserva de assentos é feita mediante uma taxa adicional (e opcional) – caso contrário, você escolhe seu lugar no momento em que entra no avião; a bagagem despachada é cobrada de acordo com a quantidade e o peso das malas; o check-in normalmente tem que ser feito online.

Além disso, o espaço entre as poltronas tende a ser bem reduzido, para que mais pessoas possam ser transportadas a cada voo e os aeroportos costumam ser menores e mais distantes das cidades, o que exige um planejamento prévio de como será e quanto custará o seu deslocamento até eles.

Em uma dessas viagens pelas aéreas low cost me surpreendi com a economia que essas empresas fazem para oferecer melhores preços aos clientes: cheguei ao aeroporto de Dublin para voar pela cia. Aer Lingus e me deparei com guichês de check-in onde não havia nenhum funcionário – só máquinas, que escaneavam a confirmação de compra impressa em casa e abriam uma portinha para que as malas fossem pesadas e despachadas. Em seguida, saía um comprovante da máquina com os tíquetes das bagagens e cartão de embarque. Simples assim.

Em outra ocasião, fui surpreendida pelo alto custo do excesso de bagagem ao viajar pela Ryanair. Em geral, nós brasileiros, saímos aqui do Brasil com uma mala recheada de casacos para aproveitar nossas férias em terras europeias, principalmente quando é inverno no hemisfério norte. E isso pode representar não só mais peso para carregar entre nossos destinos, mas também um “preju” na hora de voar pelas companhias low cost. Durante essa viagem, minha mala estava tão pesada, que eu teria que pagar cerca de 100 libras pelo excesso de peso. Quase caí para trás quando tive essa notícia e fui instruída pela funcionária do check in a transferir algumas coisas que estavam na mala para a bagagem de mão. Essa foi a minha sorte: a mochila que carregava nas costas foi abarrotada de coisas e a mala ficou mais vazia. Algumas coisas mais baratinhas e supérfluas acabaram ficando pelas lixeiras do aeroporto e, a partir desse dia, decidi que só carrego o que é realmente necessário. Além disso, adquiri uma mochila maior, com maior capacidade para esvaziar a mala nesses casos.

Um dos sites ao qual recorro para pesquisar passagens baratas é o Flylowcostairlines.org. Basta digitar a origem e o destino que ele mostra, em seguida, as opções de companhias low cost e tradicionais entre os trechos digitados.

Além disso, pode-se consultar diretamente o site das companhias e checar os dias e horários em que as tarifas saem mais em conta. Alguns deles seguem logo abaixo:

Espero que, nessas poucas palavras, tenha conseguido dar um panorama sobre as aéreas low cost europeias.

Um abraço e até o próximo post!

Sobre Márcia Oliveira 226 Artigos
É uma carioca completamente apaixonada por viagens - assim que chega de uma já está planejando a próxima. Atualmente mora em Munique, na Alemanha. É Jornalista e tem um marido super gente boa que a acompanha em suas aventuras. Adora fotografia. Ama a família e os animais. Aprecia as coisas simples da vida. E adora escrever no blog e conversar sobre viagens!

Seja o primeiro a comentar

Dê vida a este blog! Deixe sua opinião aqui!